Nossa cidade

A história de Guabiruba está entrelaçada com a de Brusque, que sob a direção do barão Maximilian von Schneeburg, fundador da nova colônia de Itajaí, a partir de 1860 trouxe os primeiros imigrantes alemães para a região. Posteriormente chegaram italianos, poloneses e austríacos.

Os imigrantes dedicaram-se inicialmente a lavoura e à extração de madeira, construindo ranchos para seu abrigo. Muitos trouxeram sua profissão de origem. Seu esforço, empreendedorismo e coragem moldaram uma cidade próspera.

Depois dos primeiros empreendedores, comércios e indústrias têxteis, foi aberto o caminho para a modernização, com o início das fábricas de malhas, confecções, tinturarias e metalurgias, que se deu a partir da década de 70.

O desenvolvimento propiciou a vinda de novas famílias, culturas e tradições, que escolheram o município para construírem seu lar. Atualmente a cidade abriga mais de 20 mil habitantes. Está distribuída em uma área de 195 km² e situa-se no Vale do Itajaí – Mirim.

A sede do município fica a uma altitude de 21 metros acima do nível do mar. A cidade limita-se ao norte, com Gaspar e Blumenau; ao sul e a oeste com Botuverá e a leste com Brusque.

Emancipação

A criação do município ocorreu a partir da Resolução nº 238, de 28 de abril de 1962, aprovada pela Câmara Municipal de Brusque, com o voto minerva do seu presidente, João Batista Martins. A resolução foi encaminhada para Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Raul Schaefer. Os termos da resolução foram ratificados pela Assembleia Legislativa, mediante a promulgação da Lei n° 821, de 7 de maio de 1962. A instalação oficial foi realizada em sessão solene no dia 10 de junho de 1962, sendo que Henrique Dirschnabel tomou posse como prefeito até 30 de janeiro de 1963.

Origem do Nome

Existem duas teorias sobre a origem do nome Guabiruba:

A primeira teoria é a de que o nome teria sido originário de índios Guaianazes que habitavam a região. Na época os indígenas foram surpreendidos por uma caravana de brancos e, a certa altura, um indígena, erguendo um peixe à beira do rio, gritou Guabirupé, que é o nome dado a este tipo de peixe.

Já a segunda teoria assegura que o nome procede de uma árvore denominada Gabiroba ou Guabiroba.

Guabiruba possui um setor têxtil forte e abriga grandes indústrias e empreendimentos, os quais fortalecem a economia. Da sua terra também, é que sai o sustento de muitas famílias. Nossa cultura é diversificada. Aqui, todo mundo se sente em casa em contato com a nossa população, que além de muito trabalhadora, é hospitaleira e alegre.

Confira as principais características do município:

    • Data de fundação – 10 de junho de 1962.
    • Festas Tradicionais –  Festa da Integração, Festa dos Motoristas, Festa de Santo Antônio, Festa de Maio, Noite Natalina, Festa São Vendelino (Lageado Baixo), Festa da Capela São Pedro (São Pedro), Festa da Capela Nossa Senhora Aparecida (Guabiruba Sul), Festa de São José (Aymoré), Festa do Sagrado Coração de Jesus (Planície Alta).
    • Principais atividades econômicas – Indústria de confecções, malhas e metalurgia.
    • População – 20.474, conforme dados do IBGE em 2013.
    • Bairros: Centro, Imigrante, Guabiruba Sul, Planície Alta, Lageado Baixo, Lageado Alto, São Pedro (localidades do Holstein, Alsácia e Lorena), Pomerânia e Aymoré (localidades do Sternthal e Grunerwinkel).
    • Colonização – Alemã e italiana.
    • Localização – Médio Vale do Itajaí, na microrregião de Blumenau, a 116 km de Florianópolis.
    • Área – 174 km².
    • Latitude – 27º 05’ 09” sul.
    • Longitude – 48º 58’ 52” oeste.
    • Altitude – 21 m acima do nível do mar.
    • Clima – Mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 20°C.
    • Cidades próximas – Brusque, Gaspar, Blumenau, Botuverá, Itajaí, Navegantes, Balneário Camboriú e Itapema.